Mama Kalunga é o quinto disco de Virgínia Rodrigues e teve direção artística de Tiganá Santana e produção musical de Sebastian Notini. Compromissada com suas matrizes africanas, o repertório traz criações de compositores negros, como Abigail Moura, Geraldo Filme, Moacir Santos, Nei Lopes, Paulinho da Viola, Roberto Mendes e Tiganá Santana. o disco foi indicado como melhor álbum e Virgínia ganhou Prêmio de Melhor Cantora de MPB no 27º Prêmio da Música Brasileira.